Funcesp tem superávit de R$ 1,6 bilhão em 2018

Funcesp - 21 de May de 2019

A Funcesp – maior fundo de pensão de capital privado do país – encerrou 2018 com o superávit acumulado de R$ 1,6 bilhão e uma rentabilidade consolidada de 14%. O desempenho superou em muito o CDI (6,4%), ficando bem próximo do ganho verificado pelo Ibovespa, que avançou 15% no período, mas ficou um pouco abaixo da meta atuarial de 15%, devido à forte volatilidade do IGP-DI. No acumulado dos últimos dez anos, a Funcesp alcançou a rentabilidade de 252% ante uma meta atuarial de 204%

Esses e outros resultados foram apresentados no dia 15 de maio, na 8ª edição do Encontro com Participante, ocasião em que a instituição divulga
aos seus beneficiários o desempenho, as principais realizações e conquistas do ano anterior, além das expectativas futuras.

Durante o encontro, a diretoria da organização abordou os desafios de gestão de recursos com uma taxa básica de juros (Selic) reduzida – atualmente em 6,5% ao ano.

O presidente da Funcesp, Walter Mendes, afirmou que, dada a queda do juro real, os fundos de pensão do país terão que aumentar a parcela
de investimentos com risco mais elevado em suas carteiras, como já acontece no exterior. Mendes lembrou que nos mercados desenvolvidos as fundações carregam portfólios com cerca de 40% a 60% de ativos com risco mais acentuado. “Creio que, no Brasil, as fundações caminham para
se aproximar da situação internacional”, opinou.

Ele recordou que, no passado, era difícil competir com o CDI. “O título público tinha liquidez, segurança e taxa real de juros era elevada”, comenta. “Hoje existem mais produtos, um leque muito maior de gestores no mercado e uma facilidade maior de se investir no exterior, por exemplo. A demanda gera a oferta de novos produtos e serviços, proporcionando ferramentas para lidar com esse cenário”, concluiu.

Jorge Simino Junior, diretor de Investimentos e Patrimônio da Funcesp, destacou que a realidade dos juros menores impõe desafios em linha com o que já existe no exterior. Segundo ele, comparado ao passado, para se alcançar o atual nível da meta atuarial seria necessário aumentar em várias vezes o risco da carteira de investimentos das fundações, o que, inevitavelmente, acarretará uma volatilidade maior nos resultados ao longo do tempo. “Sabemos o quão significativo é o desafio, mas é possível lidar com essa situação”, explicou.

Luciana Dalcanale, diretora de Previdência da Funcesp, destacou a importância de aumentar a base de ativos e a escala para manter
a competitividade. “Tanto para os planos de previdência quanto para os de saúde, a atração de novas vidas é fundamental para garantir
a sustentabilidade dos nossos benefícios no longo-prazo, possibilitando, inclusive, menores custos aos participantes.”

Ela também apresentou o mais novo plano da fundação, o Familinvest, destinado aos familiares de até 4º grau de parentesco dos participantes e assistidos. O novo produto conta com a excelência de gestão da Funcesp e permite resgates a partir do 3º ano para projetos pessoais e tem uma
taxa de administração de 0,2% ao mês sobre o patrimônio.

O Encontro com Participante foi também a oportunidade de apresentar o novo diretor Administrativo da Funcesp, Washington Salles. O executivo tem mais de 35 anos de experiência – com passagens pela General Electric do Brasil, Marinha do Brasil, Petrobras e, mais recentemente, Petros, fundo
de pensão no qual foi gerente-executivo de Planejamento – e chega para gerir as áreas Administrativa, Financeira e de Tecnologia da Informação
da organização.

O evento foi transmitido pelo Facebook e pode ser conferido na página oficial da Funcesp na rede social.