Diretoria presta contas a aposentados da Eletropaulo e fala do futuro da Funcesp

Funcesp - 28 de February de 2019

Como parte da política de transparência e prestação de contas aos participantes, a diretoria da Funcesp recebeu nesta quarta-feira (27/2), um grupo de aposentados do subplano BSPS (Benefício Suplementar Proporcional Saldado) do plano PSAP/Eletropaulo. Na reunião, que ocorre tradicionalmente a cada semestre, foram apresentados os resultados do BSPS e as mudanças recentes promovidas na gestão.

O diretor-presidente Walter Mendes destacou que uma das primeiras medidas adotadas ao assumir o cargo, em outubro do ano passado, foi unir as áreas de Previdência e Saúde, pois ambas gerem benefícios e têm questões em comum. Também destacou que a Diretoria Administrativa e Financeira vai se concentrar em reforçar os controles e também no processo de modernização da Funcesp, com a ampliação dos investimentos em tecnologia da informação, a fim de garantir ainda melhores serviços aos participantes.

O presidente ressaltou, ainda, que a Fundação está pronta para crescer. “Estamos lançando um plano instituído para até a quarta geração de familiares dos nossos participantes e que também poderá atender familiares de participantes de outros fundos filiados à Abrapp. Levando-se em consideração nosso custo baixo e a rentabilidade que nossos investimentos têm apresentado,  esse novo plano instituído será muito atrativo, melhor que os PGBLs oferecidos no mercado”, explicou. Ele informou ainda que o segmento de saúde também tem perspectivas de crescimento. “Dada a qualidade do nosso plano de saúde, muitas instituições têm nos procurado interessadas em nos repassar a administração da carteira de saúde”. 

Resultados do BSPS – Antes de apresentar um panorama do plano, a diretora de Previdência Luciana Dalcanale ressaltou a importância do encontro. “Este é um evento que valorizamos muito. Dos R$ 30 bilhões de patrimônio, nada é nosso, mas dos participantes. Por isso, a importância de dividir as informações com vocês”, ressaltou.

Luciana mostrou a evolução do patrimônio do BSPS nos últimos anos e informou que a rentabilidade este ano foi excepcional –14,95% -, ficando próxima, porém não atingindo os 15,10% estabelecidos como meta atuarial. Ela explicou que o impacto se deve ao IGPDI, índice de inflação utilizado pela Funcesp para compor a meta atuarial. “São o índice de inflação e a taxa de juros real que formam a meta. O IGPDI é muito volátil e chegou a 8,33% este ano, o que nos impôs uma meta muito alta”, disse.

Ao apresentar os resultados do portfólio de investimentos do BSPS, o diretor de Investimentos e Patrimônio Jorge Simino ressaltou que as NTN-C (Notas de Tesouro Nacional série C) representam 68,9% da carteira. Aproximadamente metade desses títulos vencerão em 2021 e a Funcesp terá um grande desafio de encontrar a melhor forma de reinvestir o valor dos títulos. Ele também fez uma análise do futuro dos investimentos diante do cenário internacional e nacional. “O crescimento nos países desenvolvidos, que entusiasmou o mercado no começo de 2018, vem mostrando desaceleração, sendo mais clara e acentuada na Europa. Isso, somado a outros fatores, como o momento de reavaliação da política monetária nos Estados Unidos, exige cautela redobrada com os preços dos ativos financeiros, principalmente em renda variável e crédito corporativo nos EUA”.  Já no cenário nacional, o diretor vê modesta recuperação com possibilidade de aceleração a partir do quarto trimestre.