Como obter incentivo fiscal com a previdência?

É incrível o fato de que quase todos os brasileiros conhecem as vantagens de ter uma reserva para o futuro, mas poucos usufruem dos benefícios que possuir um plano de previdência complementar traz já no presente, com a dedução na base de cálculo para a apuração do imposto a ser pago, na Declaração de Imposto de Renda (DIRF). A regra tributária, desenvolvida pelo governo, permite que você abata até 12% do valor de sua renda, caso tenha investimentos em um plano de previdência privada ou complementar. Ou seja, na prática, este é um incentivo para que você direcione o dinheiro que pagaria ao governo para a segurança de seu futuro.

Por envolver cálculos, pode parecer complicado, mas a conta é basicamente esta: se sua renda anual é de R$ 100 mil, por exemplo, e você possui um plano de previdência complementar, pode abater da base de cálculo para o Imposto de Renda os valores que contribuiu para este plano durante o ano - limitado ao percentual de 12% de sua renda total. Ou seja, supondo que você aproveite esta vantagem fiscal ao máximo, ao invés de pagar ao governo R$ 18.812,55 de imposto, pagaria R$ 15.512,55 (sem considerar os descontos e abatimentos de despesas médicas ou outros).

O exemplo mostra o reflexo da redução do imposto a ser pago quando o contribuinte possui um plano de previdência. O abatimento de até 12% da renda tributável pode ser utilizado tanto para um plano de previdência fechado, como o da Fundação, como para uma previdência privada na modalidade PGBL. A grande vantagem é que a diferença a pagar de imposto, R$ 3.300,00, acaba sendo uma economia e pode ser direcionada para seu plano previdenciário, engordando ainda mais as reservas para sua aposentadoria.

E como aproveitar ao máximo o benefício que ter a previdência da Fundação CESP já traz agora? Se você é participante dos planos previdenciários, basta verificar em seu Informe de Rendimento anual as suas contribuições ao plano durante o ano. As suas contribuições mensais já permitem que você tenha abatimentos, mas nem sempre são suficientes para atingir o máximo de dedução que você pode ter. Assim, certifique-se que os valores alcançaram o teto dos 12% sobre a renda.

Se por acaso a sua contribuição não alcança os 12% que podem ser abatidos dos seus rendimentos, você pode aumentar o percentual para chegar nesse valor máximo. Assim, terá dois ganhos: o benefício fiscal e o crescimento da renda na aposentadoria, já que quanto maior a contribuição maior será sua reserva financeira.

Existem duas maneiras de direcionar mais recursos ao plano de previdência: com a contribuição esporádica, aproveitando alguma grana extra, seja do décimo terceiro salário ou de um bônus, ou ainda recalcular o valor da sua contribuição voluntária mensal para o próximo ano. Mas lembre-se que esse desconto na base de cálculo de sua renda tributável só pode ser considerado para a declaração do próximo ano. Não esqueça também de levar em conta algum outro plano de previdência privada, já que serão somados os valores de cada plano para o desconto no imposto.  

A vantagem é pura matemática. Ao invés de pagar um valor maior de Imposto de Renda, você direciona mais recursos para o seu futuro. Com essa atitude você ainda terá os ganhos desse investimento, inclusive com retornos melhores do que uma aplicação em uma instituição bancária, por exemplo, principalmente porque nos planos da Fundação não são cobradas taxas de administração e carregamento. Pense nisso e, se precisar, procure a equipe do Vida Investe para fazer os cálculos e aproveitar ao máximo os benefícios do seu plano de previdência complementar.