Compras de fim de ano

O fim de ano é uma época mágica, famílias se reúnem, amigos se reencontram, colegas se confraternizam, até desconhecidos se cumprimentam na rua. Todos somos tomados por este espírito especial que nos faz parar nossa rotina e relembrar os laços que nos unem à família, aos amigos, aos colegas de trabalho e mesmo ao mundo.

Mas, infelizmente, nem tudo é sonho no Natal. O fim de ano é também a época de maior risco para o seu orçamento, muitos desequilíbrios começam justamente nesta época e levam meses para voltar, quando voltam.

Quatro fatores típicos desta época explicam este aumento no estouro dos orçamentos familiares. O primeiro deles é o clima envolvente das festas de final de ano, que cria um estado de felicidade e nos leva a exageros que não faríamos durante o ano. O segundo fator é a propaganda, sempre intensa, mas que fica sufocante nas últimas semanas antes do Natal e se torna um risco adicional para quem não se controla. O terceiro fator é a pressão social para presentearmos o mundo que nos cerca, até o entregador de jornal espera um presente; assim, vamos distribuindo mimos a esmo e os gastos explodem. O quarto fator é o pagamento do 13º salário, mais dinheiro nas mãos nos torna mais liberais nas compras.

O que fazer para controlar estas forças natalinas que levam nosso orçamento para o vermelho?

Perceba que estas são forças com forte conteúdo emocional, o clima das festas, a propaganda que explora as emoções como nunca, a convenção social que exige um espírito de gratidão geral e o dinheiro adicional que permite realizarmos aqueles sonhos há muito tempo na fila.

Não existe melhor indicação para controlarmos a emoção do que a velha e boa razão. E nada tem maiores chances de nos tornar mais racionais que números. Então, vamos a eles!

A primeira providência a tomar antes das compras de fim de ano é checar sua situação financeira.

Se você tem dívidas no cheque especial, no cartão de crédito ou em parcelas de compras, você andou estourando seu orçamento nos meses anteriores. Você deve priorizar estas dívidas, caso contrário, sua situação financeira vai piorar com os gastos de fim de ano. Você precisa direcionar seu 13º para zerar ou diminuir suas dívidas, também deve restringir aos familiares mais próximos os presentes e fixar um valor realista para cada um deles. Um bom começo é conversar com a família e explicar a situação, todos vão compreender que sem cortar gastos deste Natal, o próximo será ainda mais minguado.

Mesmo aqueles que estão com as contas em dia não devem deixar de planejar os gastos de fim de ano, sente e coloque tudo no papel. Decida quanto vai poupar do 13º e quanto vai destinar aos gastos para as festas, faça uma lista das pessoas a presentear, quanto quer gastar com cada uma, quais serão suas prioridades.

Definido o que comprar e para quem comprar, o próximo passo é pesquisar. Em muitos casos esta tarefa pode ser feita de casa, sem custo nenhum usando a internet.

Com a pesquisa nas mãos, saia então às compras, mas isso precisa ser feito com antecedência, se deixar para comprar na semana que antecede o Natal, suas chances de fazer maus negócios são enormes.

Uma dica final: financiar as compras de fim de ano é um forte indício de que você está exagerando, isso quer dizer que você está gastando o salário de dezembro, o 13 º e parte dos salários do próximo ano. Ou seja, você vai encerrar o ano velho e começar o ano novo com o pé esquerdo. Cuidado! Você pode levar um tombo.