Por que todos precisam poupar?

Em 1936, o economista John Maynard Keynes, um dos grandes pensadores econômicos da história, listou oito motivos pelos quais as pessoas poupam. Lá se vão quase oitenta anos e eles ainda continuam sendo oito bons motivos para você poupar parte de sua renda.

Os cautelosos poupam para criar uma reserva para despesas imprevistas, pois se o inesperado acontece (gasto com saúde, reforma da casa, despesa com carro etc.) e não têm uma reserva, terão que recorrer a um empréstimo e gastar bem mais com juros.

Os precavidos poupam pensando nos ciclos da vida, um dia terão que parar de trabalhar e a renda poderá cair, melhor então poupar todo mês para ter uma boa renda na aposentadoria e manter o padrão de vida.

Os calculistas poupam para receber juros e ver seu dinheiro crescer ao longo do tempo, motivo ainda mais válido quando consideramos que a taxa de juro brasileira ainda é uma das mais altas do mundo.

Os pacientes poupam hoje para poder consumir mais no futuro, decisão crucial para atingirem os sonhos e objetivos da família.

Os sensatos poupam para obter a independência e o poder de fazer o que quiserem mais tarde, quando poderão decidir sem a limitação do dinheiro.

Os empreendedores poupam para ter recursos para realizar projetos e negócios próprios no futuro, assim crescem suas chances de sucesso.

Os bons samaritanos poupam para deixar para outros, em geral se esforçam a vida toda pensando nos filhos e netos.

Finalmente chegamos ao oitavo motivo, as pessoas seguras poupam tão somente para satisfazer sua necessidade de não gastar.

Qual ou quais são seus motivos? Não importa, o que conta mesmo é que você poupe.

Criando o hábito de poupar todo mês, você se previne contra os imprevistos, se prepara para a aposentadoria, vê seu dinheiro aplicado crescer todo mês, pode realizar os sonhos da sua família, fica cada vez mais independente financeiramente, pode até montar seu negócio, deixa seus filhos numa situação confortável e, se for o seu caso, ainda satisfaz sua incontrolável vontade de não gastar.

Veja quantas vantagens numa só decisão, poupar um pouco de sua renda todo mês.

Os participantes da Fundação CESP têm três maneiras de poupar: contribuindo para a previdência social (INSS) e para a previdência privada (seu plano na Fundação) e investindo em ativos que gerem renda (imóveis, renda fixa, renda variável e negócios próprios).

Na Fundação, além da contribuição obrigatória, você deve fazer as contribuições voluntárias pelo menos até o percentual de contrapartida da empresa (informe-se sobre este percentual para sua empresa). Para quem faz a declaração pelo formulário completo, o ideal mesmo é chegar a 12% de sua renda anual (entre obrigatória e voluntária), que é o desconto máximo para lançar em sua declaração anual de IR. Assim você guarda mais, aumenta seu benefício quando se aposentar e ainda paga menos IR.

Além da previdência, você também deve poupar parte do seu salário líquido e investir em ativos que gerem renda; desse modo, você estará criando uma terceira fonte de renda para a aposentadoria e ainda vai desfrutar da tranquilidade de ter dinheiro guardado no banco para os imprevistos, para pagar à vista suas compras e muito mais.

Quando começar a poupar? Bem, a regra de ouro para quem poupa é: quanto antes começar, mais fácil será atingir os seus objetivos e sonhos. Então, comece hoje!