4 dicas para fugir dos sustos financeiros de uma vez por todas

 

Já é Halloween! Pensando nas suas finanças a data pra você é: 1) motivo de celebração (com direito a travessuras e gostosuras) ou 2) é terror mesmo?

Se a sua resposta está bem mais inclinada para a alternativa dois, este infográfico, recheado de dicas, chegou na hora certa. Confira!

 

Fatura do cartão de crédito: o fantasma

O cartão de crédito é um ótimo recurso para compras de valor mais alto e que podem ser parceladas sem juros, certo? Mas quando o descontrole toma conta, a chegada da fatídica fatura vem junto com tremedeira, taquicardia e muito susto.

Pra poupar o seu coração de tanta angústia, a dica é estipular um valor máximo mensal que você pode pagar e listar numa planilha os valores de cada compra, com a data em que cada uma entrará na fatura. Assim, você controla as compras e sabe quando é hora de parar.

 

Cheque especial: o vampiro do seu salário

Se o cheque especial fosse uma pessoa numa festa de Halloween, ele certamente estaria fantasiado de vampiro, com poses de galã, querendo te conquistar.

Isso porque na hora do aperto, o cheque especial está bem ali, pertinho, ao seu alcance. Um charme daqui, uma piscada de olho dali e, quando você percebe, lá está ele, sugando seu salário mês após mês.

Se a situação apertar, procure alternativas com juros menores: converse com seu gerente do banco. Certamente haverá uma opção melhor pra você.

 

Parcelas do empréstimo: o diabinho

As parcelas do seu empréstimo estão tão grandes, mas tão grandes que pra negociar quase é preciso oferecer a alma como garantia?

Calma. Se os juros da dívida estão lá nas alturas, saiba que sempre é possível renegociar ou mesmo pegar um empréstimo com juros mais barato para se livrar daquele que não cabe no seu bolso. Se você é participante Funcesp, e for elegível, pode também cotar um empréstimo com a gente.

 

Gastos supérfluos: a mumificação

Mas é só um cafezinho!” “Mas é só uma cervejinha com os amigos!”. Se o “mas é só” virou rotina na sua vida, você pode estar sofrendo um processo de mumificação: os gastos do dia a dia parecem pequeninos e, de repente, falta muito para o final do mês e você já está todo enrolado e no vermelho.

Evitar despesas desnecessárias é uma das premissas para um orçamento bem estruturado. E evitar não significa cortar. Basta fazer um controle e quando notar que já gastou demais, opte por trocar o cineminha pela Netflix, por exemplo, ou o barzinho por uma cervejinha em casa com os amigos.