Atenção aos cuidados para levantar crédito!

Poucas pessoas associam a palavra planejamento à tomada de crédito. Essa postura talvez reflita o fato de que são poucas as pessoas que veem o crédito como ele é: um produto, como outro qualquer.
 

A maioria de nós se planeja antes de comprar uma geladeira, carro ou qualquer outro bem, mas esquece de adotar o mesmo procedimento na hora de emprestar dinheiro. Mas, o que efetivamente envolve o planejamento da tomada de crédito?

 

Do que você precisa?

Comece refletindo sobre o motivo de tomar dinheiro emprestado. O forte crescimento na concessão de crédito, que vem ocorrendo nos últimos anos, acaba incentivando as pessoas a usarem crédito para arcar com despesas correntes ou para a realização de sonhos de consumo.


Não há nada de errado em usar o crédito para realizar um sonho de consumo. Mas, antes de optar por esse caminho, faça as seguintes perguntas:

•Será que você realmente precisa disso agora?
•Não é possível esperar um pouco?
•Quanto você economizaria se planejasse a compra à vista?

Se, depois de analisar esses pontos, você ainda estiver convencido de que o crédito é a melhor saída, é hora de avaliar que tipo de linha de crédito você precisa, quanto você precisa tomar emprestado e por quanto tempo você vai necessitar desse dinheiro. Uma vez definido o tipo de linha de crédito, é hora de pesquisar os custos.

 

Que valor e por quanto tempo?

Se você não sabe ao certo de quanto vai precisar, faça as contas com cuidado. Não compensa tomar um volume maior de crédito emprestado só por segurança. Lembre-se que isso tem um custo. Muitas vezes o consumidor, animado com o fato da taxa de juro ser mais baixa, acaba decidindo aumentar o volume do empréstimo, o que acaba pesando no seu bolso.


Definido o volume, é hora de refletir por quanto tempo (prazo) você vai precisar desse dinheiro. De certa forma, essa resposta está alinhada ao destino que você pretende dar ao dinheiro emprestado. Estamos falando de uma emergência financeira temporária: o seu salário atrasou e você não tinha com o que pagar as contas? Você perdeu emprego e não conta com uma reserva de emergência? Optou por comprar financiado um determinado bem?


Com essas duas informações, você já pode definir melhor o tipo de linha de crédito da qual precisa. Vale notar que, no caso das necessidades temporárias de dinheiro, pode compensar mais escolher uma linha de crédito rotativo, como o cartão ou o cheque especial, do que uma linha de empréstimo pessoal com prazo mais longo.