Dívidas boas x dívidas ruins

O conselho mais frequente dos consultores financeiros é: gaste menos do que ganha e elimine ou evite ao máximo as dívidas. O que poucos sabem é que existem dívidas boas, que podem ajudar a trazer mais dinheiro e dívidas ruins, que podem comprometer o orçamento, corroendo o patrimônio das famílias.

 

É importante entender que algumas dívidas podem se tornar boas dependendo da situação e aplicação. O financiamento de um veículo, por exemplo, é uma dívida ruim. Isso porque no final do financiamento você acaba pagando dois veículos e quando você retira da concessionária já perdeu 15% do valor do bem. Fora os gastos que terá com impostos, seguros, manutenção e combustível. Não é possível recuperar o investimento.

 

Agora, se você financiar um veículo para táxi, por exemplo, se torna uma dívida boa. Isso porque vai trazer dinheiro e sustento para a família, caso seja o taxista, ou retorno financeiro se for investidor. Parece complicado, mas se conseguir fazer essa análise vai perceber quando vale ou não a pena assumir uma dívida.

 

Para construir uma vida financeiramente estável é preciso equilíbrio e as dívidas em exagero ou sem medida, que muitas vezes são acompanhadas de um descontrole nas contas, consomem todo o seu rendimento e não deixam espaço para melhores escolhas financeiras.

 

Portanto, evite as dívidas e só faça aquelas que realmente podem ajudar a aumentar seu patrimônio e garantir um rendimento financeiro. Se for para financiar estudos que garantam no futuro um salário maior, essa será uma dívida boa e pode ser considerada como investimento. O importante é pesar, avaliar e fazer boas escolhas sempre!